Como o estresse pode impactar sua saúde

thumbnail

Para começar, acho importante esclarecer que estresse não é necessariamente uma coisa horrível. Pense na possibilidade do nosso corpo não ter nenhum tipo de habilidade para resistir ao estresse; a gente provavelmente não teria chegado nesse ponto da etapa da evolução. Nossos ancestrais, por exemplo, usavam os primeiros sinais do estresse como sinal de alerta para os perigos que enfrentavam. 

Afinal, o que é o estresse? 

Estresse é uma resposta física do nosso organismo a um estímulo. É uma palavra que vem da física e significa o desgaste a que estão expostos os materiais. Ou seja, trata-se de uma determinada quantidade de força, aplicada em uma área específica. 

Agora, saindo da física e indo para o nosso organismo, quando somos submetidos ao estresse, nosso corpo reage, produzindo hormônios químicos. Essa produção ocorre justamente para preparar o nosso corpo para uma ação, seja ela de “lutar ou de fugir”. O grande problema é quando o nosso corpo entra em situações de estresse que são inadequadas e por tempo prolongado. 

Efeitos no corpo

Quando sentimos algum sinal de ameaça nosso cérebro produz automaticamente hormônios como o cortisol e a adrenalina, que fazem a nossa pressão arterial subir, nossos músculos se contraírem e a frequência cardíaca e respiração  aumentarem. 

Esse mecanismo de estresse era destinado aos nossos ancestrais, quando se viam diante de perigos concretos como ameaças de animais ferozes, catástrofes climáticas, busca por alimentos e guerras entre tribos. Hoje, ainda podemos enfrentar grandes situações de perigo como assaltos, ou acidentes, mas os grandes causadores de estresse são outros. 

Se no passado, nosso coração palpitava, a nossa pele transpirava e nossa respiração ficava descompassada ao vermos um animal feroz, hoje ficamos assim diante do desemprego, dificuldade para criação dos filhos, compromissos econômicos e medo de um futuro incerto. 

A reação do nosso corpo a situações de estresse podem ser: dor de cabeça, dor nas costas, dor na mandíbula, dores musculares em geral, azia, gases, diarreia, palpitações cardíacas, aumento de pressão e mãos suando. Se não tratados, podem escalonar para problemas mais sérios.

Tipos de estresse

Estresse Agudo

O Estresse Agudo é um conjunto de alterações emocionais, cognitivas e físicas que podem surgir após um evento estressante extremo e ameaçador. Essa é a reação mais comum do corpo ao estresse. Pode acontecer diante de aspectos inesperados como algum acidente, notícia ruim, ou algum tipo de choque de grande responsabilidade, como a chegada de um filho. 

Os sintomas costumam durar de 2 até 30 dias, mas caso aconteça um episódio que gere algum tipo de trauma, há um risco de desenvolvimento do chamado transtorno pós-traumático. Mas em situações normais, esse tipo de estresse ensina o nosso corpo a lidar com esses acontecimentos no futuro.

Estresse Agudo episódico

Esse tipo de estresse acontece quando o estresse agudo ocorre com muita frequência. Pessoas que costumam ter crises nervosas com regularidade estão submetendo o próprio corpo a um estresse contínuo que se torna o tipo agudo episódico. Pessoas que costumam ter esses sintomas geralmente acabam sendo as mais pessimistas, que se sentem perseguidas e acham que sempre o pior vai acontecer com elas. 

A  preocupação excessiva é a grande vilã, já que ela acarreta muitos destes sintomas, deixando as pessoas tensas e ansiosas sem razão aparente. O efeito para saúde é muito nocivo, já que a soma dessas dores, como enxaqueca, dores no peito , podem ocasionar quadros mais graves como hipertensão, gastrite, úlcera, entre outras.  

Estresse Crônico

É o estresse prolongado, constante e que nunca desaparece. Pode aparecer na forma de irritação, preocupação, medo, frustração, cansaço, por exemplo. Há uma liberação crônica de cortisol ( conhecido como o “hormônio do estresse”). Isso causa problemas para a nossa saúde, pelo risco de problemas cardiovasculares, ansiedade e depressão.

Como lidar com o estresse?

O autoconhecimento e o autocuidado são fundamentais. Procure atividades prazerosas, relaxantes, faça atividades físicas, tenha uma alimentação saudável, durma bem, e se achar necessário, procure um médico ou terapeuta para te ajudar a gerenciar o estresse.

Beijos!

Sou Nanda Carvalho, farmacêutica e professora por vocação e apaixonada por aprender, conhecer, ensinar e informar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top
error: O conteúdo está protegido !!